domingo, 22 de maio de 2016

Mais público, menos privado: como tirar algo de bom disso tudo?

 Antes de começar gostaria de dizer que não tenho escrito ultimamente pelo alto grau de estresse ao qual me submeti: trabalho, faculdade, família, amigos, afazeres diários, animais de estimação (que não tenho mais), etc... E quando vinha escrever, quando tinha uma ideia bacana de como começar, ela logo desaparecia, é esquisito. Acho que tem algo a ver com a criatividade... Bom, vamos lá!

 Ainda continuo, e acho que quero continuar, prestando atenção nas coisas ao meu redor e, talvez por isso, às vezes, sinto o peso do mundo nas minhas costas, que estão bem doloridas, por sinal. O fato de eu ter que usar tantas vírgulas em meus textos para interpolar ideias com opiniões e achismos expõe o meu nível de ansiedade para falar tudo de uma vez só e, talvez por isso, o texto possa ficar pesado demais pela grande quantidade de informações. Agora vou começar a falar sobre o tema do post[e] propriamente dito!



 Snapchat, Twiter, Facebook, Instagram e todas essas redes sociais que surgem todos os dias têm seus lados positivos e negativos. Tirei alguns dias para perceber como os meios de comunicação, principalmente o celular (é um meio que usamos para nos comunicar, não é?) tem interferido em nossa vida diária. Isso mesmo. Na minha, na sua e até na de quem não usa o celular (alguém não usa?). Um exemplo é quando uma mula está dirigindo um carro ou até uma moto, acreditem, UMA MOTO, e fica no celular. Mas não é falando, porque o celular, hoje em dia, não é mais feito para falar, mas sim TECLANDO, e de repente atropela alguém. 

Desde o momento em que o 'falar' deixou de ser a função fim do celular, passamos mais tempo olhando para baixo (a tela do celular) do que para frente. E isso se reflete em toda a nossa vida. Pode interpretar aí. E então nossa vida se passa mais no mundo virtual (onde podemos ser o que quisermos) do que no mundo real (onde estamos deixando de ser qualquer coisa). E novamente me pergunto: será que isso faz parte da evolução? Ou será que de tantos outros caminhos o ser-humano escolheu este? (Como num jogo de tabuleiro). Não gosto de pensar muito nisso porque minhas costas começam a doer ¯\_(ツ)_/¯

 MAAAAANS, há os pontos positivos e negativos. Aqui irei abordar tais pontos voltados para a relação público x privado (já falei disso antes, deixarei o link no final desta postagem para que você não se distraia). Hoje, cada vez mais, temos muitos meios para expressar nossas opiniões e outras inutilidades (sorry!), a rede social é nossa e colocamos nela o que quisermos, não vou nem discutir isso. Porém, estamos nos expondo muito e isso é bom ou é ruim? O ser humano é bem volátil, pessoas já morreram porque postaram coisas (fotos, vídeos, opiniões, talvez) e depois se arrependeram. E o que cai na net fica na net pela eternidade dos números binários. Isso tudo na medida em que estamos perdendo a empatia pelo próximo, o que acontece quando um bando de carniceiros fotografa e filma acidentes em ruas e rodovias e outros carniceiros assistem e compartilham. Na medida em que, também, não conseguimos aceitar que o coleginha do lado pode pensar diferente da gente, dentre tantos outros absurdos que, aos poucos, muitas pessoas já consideram normais (o que é normal mesmo, falando nisso?) 



 Enquanto podemos conversar com amigos de longa distância (e data) pelo WhatsApp, no mesmo aplicativo, naquele grupo cheio de gente que pensamos conhecer, vem um e coloca os vídeos de mulheres flagradas em momentos íntimos ou de uma bagaceira de acidente terrível. No mesmo app que podemos falar e passar mensagens de paz vem um e transmite ódio... não que essas coisas não aconteçam fora do app, mas no mundo digital fica fácil emitir certas opiniões. Ou você já não percebeu a diferença de certas pessoas falando na vida real e pela rede social? Pelo facebook mesmo eu consigo ficar informado sobre minha área de trabalho, meus hobbies favoritos, filmes, músicas e tudo mais que eu me interessar. TUDO. (bom ou ruim?). Recentemente criei um instagram e um snapchat de bônus. Vou relatar o que acontece comigo nesses dois, apesar do pouco tempo de uso: eu me sinto menos sozinho! Eu sei que isso é mais ou menos uma ilusão e, por favor, eu não sei de nada desta vida... É a matrix! É onde podemos ver coisas que, se pensarmos direitinho, não sabemos mais se é verdade ou se é mentira. Pensar nisso me deixa triste e minhas costas......... Mas por outro lado podemos ver imagens bonitas, podemos rir de coisas engraçadas (isso é muito, muuuito relativo). 


 Às vezes eu sou divergente sem me dar conta disso. Às vezes sou porque quero. E às vezes, na maioria delas, estou apenas alheio a tudo. Venho procurando inconscientemente, acho, por coisas que me tragam paz e serenidade, tanto nas redes sociais como fora dela. Porque sim, existem coisas que me entristecem assistindo ao jornal ou na internet, mas também existem coisas boas! E são essas em que temos que focar. :D ALELUUIIAAAHHHHHH



O link que prometi :D 
Público X Privado:  AQUI!!

Nenhum comentário: