domingo, 16 de agosto de 2015

Sobre discussões

Nós chegamos a um ponto em que as justificativas para solução dos problemas da sociedade estão acabando. Existem dois lados e cada um deles tem a sua explicação para a resolução (ou tentativa) desses problemas. Cada cidadão tem o direito de escolher um lado (como se fosse um jogo) e colocar seu ponto de vista, seu entendimento de como esses problemas estão afetando a sociedade e como considerar uma discussão produtiva na tentativa de se chegar a uma solução. É muito difícil (na verdade acho impossível) chegar a um denominador comum. Vivemos na sociedade da diversidade, o que é bastante enriquecedor e proveitoso para todos nós, o que varia também nas opiniões de cada um, e o respeito, nessa hora, é crucial. Não concordar, mas ter em mente que cada um tem seus motivos para acreditar em alguma coisa é um passo importante para não transformar uma conversa em gritaria.


O problema dos egoístas e os preguiçosos nas discussões
Isso porque os egoístas só pensam em si mesmos e vão aderir à solução que os beneficiem, às vezes nem pensam na própria família e sim na imediaticidade da resolução do problema, mesmo que seja apenas temporário, mas que seja agora e para o meu benefício, para acabar com a minha dor de cabeça. Já os preguiçosos, estes não devem entrar na discussão porque são papagaios que estão em cima do muro, não leem, não conseguem formar uma opinião própria e só repetem o que estiverem falando mais. E quem fica em cima do muro leva tiro dos dois lados...

Mas para chegar a algum lugar, em alguma solução, é necessário saber discutir. O que acontece hoje é que um coloca sua opinião, depois tem a réplica, depois a tréplica e depois a pancadaria! O ódio está se espalhando como se fosse uma mancha de óleo no oceano e no final afunda todo mundo.

É aquela fórmula:
Tese depois antítese que resulta numa síntese. Estamos brigando com uma tese e uma antítese. No meio do processo, os argumentos se perdem e o ódio parece que prevalece de um dos lados (ou de ambos?) que não nos permite chegar numa síntese. E tenha certeza que ela vai virar uma tese para combater uma antítese e virar outra síntese num loop eterno. Numa discussão, ambos (entendendo que está acontecendo entre duas pessoas) devem sair acrescidos de uma nova visão, não que precise mudar de opinião, mas entender que existem outros pontos de vista.


Isso tudo é pra esclarecer que enquanto, primeiramente, não nos entendermos como seres individuais vivendo numa sociedade diversificada não tem como entrar em acordo sobre nada. Ser egoísta num momento como este também não ajuda. Ser preguiçoso, pior.

Nenhum comentário: