quinta-feira, 18 de junho de 2015

Caminhando e cantando...

A sociedade prega uma coisa e a gente pensa que é a coisa certa, mas chega uma hora que o seu corpo, a sua mente e a sua alma dizem que não é assim. O que dizem sobre ser bem sucedido na vida? Dizem que se você estuda, tem um emprego e uma casa você é bem sucedido e, alguns
, ainda dizem que você também é feliz. No meu caso aqui eu tenho isso tudo, ou seja, diriam que sou bem sucedido. Diriam também que eu sou feliz. Mas eu mesmo não sei se sou nem uma coisa nem outra.

            Você segue conselhos, procura um emprego, estuda e quando está “estabilizado” (mas só pelo lado de fora), você percebe que não está mais seguindo adiante, que parou no tempo. Que quando alguém pergunta o que você tem feito, a única coisa que você diz (há anos) é: só estudado e trabalhado. Aí alguém diz: que bom que você é bem sucedido. E você pensa: mas eu não quero ser bem sucedido, quero ser feliz. E pra ser feliz você pode ter muito dinheiro ou não.

            É muito complicado falar em dinheiro hoje, pois este é o deus na terra e falar que ele não é importante é pior do que falar uma blasfêmia. Alguns carniceiros logo diriam: então me dê o seu dinheiro pra mim!!!!!!! ME DÊ!!!! Cuidado com esse tipo de pessoa. No tempo em que o que é certo ou errado passou a ser mais relativo do que nunca, para alguns, realmente, a felicidade só pode ser alcançada com dinheiro.

            Então o que fazer quando você está sendo bem sucedido, mas não se sente feliz, sente que está faltando alguma coisa ou sente que parou no tempo?

            1 – Cuidado com a família. Não se pode generalizar, mas algumas querem o melhor pra você quando na verdade ela nem conhece você de verdade mesmo você sendo o filho, irmão, pai ou mãe do núcleo. As pessoas querem o melhor para elas mesmas e tentam colocar isso na gente. Crescendo e aprendendo, eu vejo que muitos dos conselhos que já recebi de pessoas mais velhas foram para o benefício delas. Creio que quando alguém pede um conselho a pessoa deve dar possibilidades e não ordens.

            2 – Cuidado com os amigos. Da mesma forma que a família, já que os amigos são a família que nós escolhemos, alguns deles não aceitam a mudança e querem que você permaneça o mesmo para sempre. A mudança é algo difícil para todos, mas para alguns parece ser um martírio. Para estes é melhor continuar fazendo a mesma coisa de sempre, permanecer na zona de conforto até o fim. Isso inclui não querer deixar os outros seguirem em frente.

            3 – Quando você percebe que não está feliz do jeito que está a sensação é pior do que quando você estava infeliz mas deixava a sensação escondida. Isso porque agora você sabe que tem que tomar uma decisão e mudar alguma coisa. E como já dissemos antes: mudar é difícil.

            Claro que são apenas possibilidades para tentar minimizar a sensação de tristeza miserável e infelicidade decadente. Afinal, eu sou apenas mais um nessa bagunça toda, nesse caos giratório. Pensando agora, vejo que estudar de mais está me fazendo perceber a infelicidade. Se eu não tivesse lido umas coisas de filosofia e sociologia talvez eu ainda estivesse contente, rindo à toa pensando que por eu ter meu dinheiro todo mês estava com a vida feita. Não. Agora não tem mais volta pra mim. Também não é o fim dos tempos. Ainda lembro a sensação de me livrar de um peso nas costas, de ter a consciência limpa de ter feito uma escolha certa... Só preciso lembrar como fazer, jogar esse peso que me faz ficar parado e começar a andar novamente.

            Também lembro quando ouvia calado os “conselhos//ordens” que eu nem pedia. Depois que eu aprendi a pensar por mim mesmo essas “doações” não entram mais na minha bagagem sem antes uma refinada revisão crítica sobre o que vai me acrescentar ou subtrair. Se vai pesar mais na minha bagagem ou se vai me ajudar a aliviar o peso. Depois que eu aprendi a pensar, ficar sozinho é necessário. Algumas pessoas apenas fazem barulho quando falam. E falar em sucesso na vida colocando o dinheiro em cima da felicidade já não soa uma melodia interessante e nunca deveria ter tocado pra alguém ouvir essa baboseira.