segunda-feira, 7 de julho de 2014

Segundo cientistas, viver um minuto diminui um minuto da sua vida

mas só se a sua vida for simplesmente ligada aos ponteiros do relógio [ou aos dígitos], o que não é, mesmo indo de encontro ao que os cientistas dizem. Digo isso porque, ultimamente, tenho visto muitas notícias de descobertas como: fumar um cigarro diminui x minutos da sua vida ou sorrir por 15 minutos aumenta x minutos na sua vida e o último foi que o beijo diminui alguns minutos de vida... Então quer dizer que se eu fumar rindo eu vou balancear os minutos perdidos com os minutos ganhos? E a divulgação constante disso, junto com o modo de vida que já temos, parece-me que já faz uma contagem pra hora da morte, porque, logo logo será descoberto, se já não foi, que respirar diminui x minutos de vida e que a comida que comemos nos transforma em zumbis aos poucos, a não ser que você seja vegetariano, mas também descobriram com as plantas e vegetais em geral ouvem quando estão sendo comidas...
     Tenho percebido que a vida é um total paradoxo. As coisas boas são encontradas nas ruins e vive-versa. Do jeito que tem gente neurótica por aí... 
     Ninguém sabe quando vai morrer, a não ser que você tenha feito aqueles testes que resultam numa contagem regressiva da sua vida dependendo das suas respostas, nesse caso você já sabe, mas tirando isso, como saber quantos minutos a mais ou a menos teremos de vida? Já vi pessoas que morreram aos 90 e tantos anos e sempre fumaram como também vi jovens que morreram cedo mesmo sem vícios. Sem falar nos acidentes... A vida é caótica, e tentar fazer contagem de tempo para viver mais ou menos é perda de tempo, na minha opinião. Todo mundo sabe o que faz mal e o que faz bem, cada um sabe o que come e o que usa e todo mundo sabe, lá no fundo, quanto tempo falta ou sobra em sua própria vida de acordo com os hábitos que tem. 
     Viver um minuto e perder um minuto de vida simultaneamente só importa para um relógio, e nós não somos relógios. E tenho dito!

 [Só para deixar claro, eu gosto da ciência, mas tem coisas que não, né? (?)]