domingo, 1 de setembro de 2013

Hostilidade

 O relato a seguir aconteceu quando fui para um congresso com o pessoal da faculdade. Totalmente verídico porque eu mesmo estava lá e presenciei tudo. Essas coisas sempre acontecem na hora do Coffee Break, portanto, cuidado nesses congressos.


A comida pode trazer os instintos primitivos à tona. Tornar as pessoas agressivas não importando a classe social, religião ou orientação sexual. Hoje eu percebi o poder destrutivo que a comida pode desenvolver nos grupos sociais.
 Estávamos todos no Coffee break comendo e bebendo de "graça". Os mais espertos, e esfomeados, ficavam em um ponto estratégico em frente a cozinha, que era pra aproveitar TUDO que passasse. Os ânimos começaram a ficar agitados quando quase todo mundo começou a perceber que a comida não estava chegando para todos, pois quem estava no ponto estratégico comia primeiro e não permitia que sobrasse comida suficiente.
 O inferno começou, e eu nunca me esquecerei daquele momento, quando o garçom trouxe a primeira bandeja de carne com molho. Quem estava no ponto atacou imediatamente e, a partir daquele momento o garçom não se moveria mais. Uma menina pegou a carne. Revirou os olhos e disse a palavra maldita:
 __ É molho barbecue!
 Primeiro tudo ficou em silêncio, mas ninguém parou de comer.
 Duas garotas lá do fundo saltaram inacreditavelmente por sobre os participantes do encontro até a bandeja com o molho. Tinham os olhos negros e as bocas escancaradas com dentes de tubarão. A primeira que caiu engoliu toda a bandeja com carne, molho e tudo. Ainda levou metade do braço do garçom como brinde.
 Todos começaram a gritar, mas ninguém correu. Quem estava perto das garrafas, pegou-as e as quebraram para usarem como arma. A luta pela comida começou: esfomeados X garçons. Os participantes invadiram a cozinha e se depararam com duas cozinheiras com facas e facões. Os primeiros mortos caíram: dois garçons. Eles eram minoria. Quando eles caíram com uma garrafa enfiada no pescoço, eu e meus amigos, tomados por um frenesi de fome canina, voamos, literalmente, em direção à barriga do primeiro morto e puxamos suas vísceras para comer. O sabor foi sensacional, tinha gosto de molho barbecue. O encontro virou uma festa de canibalismo e o piso foi lavado com molho, ou era sangue?
 Acordei na pousada em que estava alojado. Levantei suando frio e aliviado ao mesmo tempo. Fui direto para o banheiro. Precisava de um banho. Vi meu reflexo todo ensanguentado no espelho. Acendi a luz do quarto e meus colegas de quarto estavam só os pedaços carcomidos. Quando saí do quarto era noite, eu dormira um dia inteiro. O corredor estava cheio de corpos despedaçados, até a pobre e gentil dona da pousada só sobrara a cabeça com um semblante de pavor. O odor da podridão não era tão ruim, tinha cheiro de molho barbecue. E isso me deu fome...


 Até o próximo congresso...