segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Ficha suja

Eu vivo pensando na morte direto... Quando eu não consigo o que eu quero uma leve foice passa perto do meu pescoço e eu penso em fazer alguma coisa (pular de um prédio, me esfaquear, um tiro na cabeça, auto-imolação...). Pois é, é uma fraqueza pesada que eu tenho na vida.
Em geral tudo é alegria, meu rosto só aparenta o que os outros querem ver. Como se eu fosse um brinquedo...

Não tenho rumo certo. Quando eu acho que estou fazendo uma coisa que dará um futuro bom, logo mudo de ideia e faço outra coisa, começo do zero, acabo com o que eu estava construindo. O fogo caótico me consome e eu tenho vontade de morrer... Ainda não sei o que é Amor e insisto em pensar que ele não existe porque eu não me considero uma pessoa normal. Eu não me considero nada... Não gosto deste mundo, na maioria das horas eu não vivo nele. Na maioria do tempo eu não estou aqui. Na maioria das horas eu penso em voltar de onde vim...

Os remédios me fazem dormir e eu agradeço por isso. É bom saber que vou passar um tempo longe de tudo, até dos sonhos. Às vezes só espero o tempo passar para que tudo acabe logo, às vezes não. Minha cabeça gira e eu não sei mais o que fazer.

O meu rosto mostra apenas o que os outros querem ver...