sexta-feira, 30 de julho de 2010

Jogos Mortais VII 3D Versão Twitter

Minha idéia simples e psicótica, caros amigos, é criar um jogo inteiramente mental. Loucura? SiM! MuaHAUhauhAUhUAhuahuHAuhauhU!!! venham ser loucos comigo!! Vai ser divertidooo!!

Vamos ao jogo!



Quero testar a nossa capacidade criminal & psicótica, claro, assim como nossa criatividade [que bem canalizada pode destruir coisas e pessoas] para criarmos armadilhas "imaginárias" para vítimas "imaginárias". [Gente, é tudo imaginário mesmo, não façam em casa]. Usaremos também, além da página de comentários, o Twitter, a nova mania da garotada que também me pegou de jeito.

Quem não tiver twitter pode mandar as idéias para cá mesmo, nos comentários gritados da galera mais amada do Brasil e do mundo e das Galáxias e de tuuuuuudo mais!

Quem tiver twitter, primeiro me sigam (http://twitter.com/junior_desenho), por favor. Depois manda um recadinho com a tag #JMVII (JogosMortaisVII) com sua idéia e sua vítima. A vítima pode ser um vizinho, um "amigo", um ex-namorado (a), ou quem você quiser ver se divertir numa armadilha bem legal.

Pessoal, as armadilhas tem que dar a chance da pessoa sair com vida. Mutile, decepe, queime, faça o que sua imaginação doentia quiser, mas dê a chance da pessoa aprender algo com sua maldade, ok? [Mas se ela se recusar a fazer o que a armadilha pede em alguns minutos ela morre eletrocutada, que legaaallllll!!!]
Ahh, se vocês não quiserem fazer a armadilha, manda só a vítima pra mim que eu faço uma bem especial, ok criançada bonita? Let's Go To The Party!!

Vamos a um exempl legal?
Vocês gritam : VAMOOOOOOOOSSSS!! \o/
Então vamos! --->

Vou criar uma caneta que gruda na mão e pega fogo, o fogo só pára quando a pessoa escrever e gastar a tinta toda. Se passar 1 minuto e não acabar ela explode.

Vamos gritar um viva bem alto?
Vocês gritam --> VIVAAAAAAAAA!! \o/

Isso vai ser uma delíciaaa!!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Dia do Amigo

Não é fácil falar sobre amizade, às vezes você passa anos para considerar uma pessoa como "amigo", outras você só precisa de um olhar e já sabe que seu espírito e o da outra pessoa são compatíveis. Por que eu disse que não é fácil falar de amizade? Bom, porque não é fácil falar de espírito. São entimentos que beiram a loucura [porque eu gosto muito de falar em loucura], e beiram a loucura porque Erasmo de Rotterdam no livro "Elogio da Loucura" exemplifica direitinho como uma amizade é "louca" em vários sentidos.

O mundo conspira para que espíritos compatíveis se encontrem, sejam eles na família (irmãos e irmãs) sejam na vida (os amigos). Os espíritos compatíves tem uma sincronia que já pode ser percebida no primeiro encontro ou só com anos depois. Na era da tecnologia, os amigos virtuais são tão importantes como os "reais" [já que os virtuais também existem em algum lugar]. Creio que espíritos não tem essa classificação, eles só são compatíveis ou não, sem importar a distância.


A sensação é inexplicável, o amor compartilhado é como alimento para o corpo e para a alma. É uma amor que apesar das brigas, dos chutes, dos cabelos arrancados, dos murros na cara e do sangue derramado, no final o amor persiste! O amor, às vezes, vem na tapa na cara, na dor cruciante de um chute na virilha ou no puxão de cabelo. Não importa a forma que se é passado, o que importa é que seja amor! [será que peguei pesado?]

Eu vejo a amizade como um grupo de super-heróis que se unem para combater alguns inimigos, os inimigos são a tristeza, a solidão, etc. Os heróis destroem os inimigos. A alegria vence a tristeza e os espíritos fazem a festa. Não vou falar nos inimigos que se disfarçam de amigos porque estes tem um lugarzinho especial no inferno e para mim, saber disso me alivia. (6)

AAhhh, como é bom ter amigos! Em bons e maus momentos. Tudo é aprendizagem para o espírito. Eu levo meus sentimentos no olhar [a janela da alma] e agradeço a vocês, meus amigos [todos, os amigos do mesmo sangue (irmãs), os amigos de sangues diferentes (mas de espíritos compatíves), os amigos virtuais (de números binários compatíveis) e aos amigos que ainda vou conhecer...], agradeço a todos por poderem ler os sentimentos que passo com meu espírito sem precisar falar uma palavra, só com o olhar.

Precisando de mim, gritem, porque eu já chego na voadora com os dois pés! ;)

Hoje vai ter trio Elétrico -->

quarta-feira, 14 de julho de 2010

A Esfera


Vamos imaginar assim - se é que eu estou só imaginando mesmo: Você está dentro de uma esfera, não o seu corpo físico, mas só a sua mente (o que você é de verdade). E de onde você está dá pra ver o mundo aqui fora de vários aspectos diferentes, como se essa esfera fosse pintada de várias cores e cada cor fosse um aspecto (Ex.: Os aspectos podem ser emoções, alegria, tristeza, ódio, melancolia, etc.). A esfera normalmente tem um ciclo de rotação determinado, para que seu espírito passe por cada aspecto numa hora determinada da vida... O que acontece comigo agora? Acontece que a esfera na qual eu estou está girando descontroladamente e eu estou vendo várias cores passando diante de meus olhos de uma maneira caótica e desumana...

O meu corpo aqui fora parece normal, mas dentro da minha mente as coisas estão girando sem controle. A minha esfera se descontrolou e eu já não sei em que aspecto estou agora e em que aspecto estarei daqui a cinco minutos. Não é esquisito? A esperança e a desilusão passam na minha frente de maneira quase imediata e da mesma maneira dão lugar à alegria e à tristeza. Como eu posso processar na minha mente sentimentos tão distantes uns dos outros no mesmo tempo?

domingo, 4 de julho de 2010

[Re]Contruindo um castelo de Ar na minha mente

As vantagens são muitas, você o constrói da maneira que bem entender, vive nele da maneira que bem quiser e chama pra morar com você quem você gostar.
O meu castelo já estava pronto, já bem moldado, faltavam alguns detalhes, mas que eu sabia que logo deixaria do jeito certo pra mim. Ele era imenso, não que isso importasse, mas era onde eu me refugiava sempre que algo saía dos eixos. Era onde eu buscava forças pra continuar no mundo material e de onde eu puxava energia pra sempre continuar sorrindo. No meu castelo eu fazia o que eu queria, porque ele era meu. Ele voava alto, alto e mais alto do que qualquer nuvem.


Só que eu passei tanto tempo dentro dele sem me importar com o mundo aqui fora, que quando me dei conta, percebi que meu castelo estava no chão, perto das coisas normais... Tinha perdido toda sua altitude e estava praticamente destruído. Quando percebi isso entrei em desespero e tudo à minha volta não importava mais. Minhas perspectivas haviam sumido sem que eu percebesse, assim como meu castelo tinha se desfeito sem que eu desse conta. O meu baluarte estava desfeito e eu estava vulnerável para a vida. Meus sonhos se esvaíram como se eu tivesse me traído...

Vi coisas que eu não queria ver e escutei vozes (tão parecida com a minha) que eu não queria ouvir me mandando fazer coisas que eu não gostaria de fazer. A vontade de viver ficou submissa à alguma coisa que não sei explicar. Caí dentro de um buraco negro, meu castelo já destruído e eu sem conseguir enxergar um palmo a minha frente. O medo ficou do meu lado me impedindo de fazer qualquer coisa... Algumas criaturas tentam me ajudar e eu aceito a ajuda, não é momento de ser orgulhoso. Nunca fiquei tão próximo da realidade, a visão apocalíptica do que é ser normal me aflinge como nunca.

As minhas forças estão, aos poucos, retornando. O medo de não voltar a ter meu castelo está me fazendo reagir. Pensar que eu não tenho mais nada a perder já não faz sentido. Eu quero ter meu castelo de volta e tudo o que tinha dentro dele.

Eu estou o reconstruindo, lentamente, mas estou. E vou fazê-lo melhor que o outro, com algumas modificações que este período de normalidade está me fazendo aprender à força. Nada vem sem um ensinamento, por mais doloroso que seja e por mais que pareça que não vai passar... (foi o que me disseram)