sexta-feira, 25 de julho de 2008

Em que você pensa?


O título pode até ser sugestivo, mas quando digo isso ele será sugestivo de uma maneira diferente para cada pessoa da face da terra. Algums podem até pensar parecido, mas nunca igual. Eu pensei bastante antes de escrever sobre pensamentos, pois passamos a maior parte do tempo pensando e quando eu lembro que sempre eu estou pensando em algo aí eu paro e começo a pensar mais, só que desta vez eu "tento" guiar meus pensamentos. Confesso que muitas, muitas vezes eu não tenho controle sobre eles. Não sei se isso é normal e acontece com muitas pessoas, acho que sim. Mas quando pensamos que algo é exclusivo nosso a coisa fica mais interessante, por isso às vezes acho que só acontece comigo e me sinto especial [Haha!]. Aí no mesmo instante eu penso que muitas pessoas também pensam assim e se sentem especiais sem saber que mais um monte de pessoas também pensam assim e também se sentem exclusivas e, consequentemente, especiais. Muito estranho isso ¬¬


O mundo que existe dentro da minha cabeça, se eu for pensar direitinho, ultrapassa em mil o mundo aqui fora, pois no meu eu ando por onde quero até pelado, sem medo de perder o pudor ou coisa parecida. Dentro da minha cabeça eu falo o que eu quero e ninguém nem percebe. Mas às vezes eu falo muitas coisas ao mesmo tempo, no mesmo milésimo eu vejo tantas coisas ao mesmo tempo que fica difícil prestar atenção em todas, mas mesmo assim eu vejo claramente as milhares de coisas que imagino simultaneamente. Muito interessante isso ¬¬


Quem já pensou em se matar levanta a mão! o/ Ééé! Que coisa feia isso, não é? Mas será que só eu penso assim? Não! Seria como no parágrafo passado. Seria um luxo só meu e quando penso que só eu sou especial começa tuuuudo denovo... Quem já pensou em fugir de casa sem ter motivo nenhum, só por pura aventura? Quem já pensou em largar tudo e virar hippie? Quem já pensou em matar outra pessoa ou um animal (quase a mesma coisa, não é?)? E as pessoas insistem em chamar outras de loucas... Mesmo sabendo que na mesma hora em que estão processando as palavras na boca pensam em ter a coragem de cometer uma loucura pra se sentirem mais completas... Sim, pois muitas pessoas se preservam ao ponto de cronometrar seus passos para não parecerem loucas(...) e no final acabam explodindo numa loucura fria e sem graça... Aí as pessoas dirão: __ Nossa! Ele(a) era tão controlado, como foi acontecer isso? Muito complicado isso ¬¬


Ééé pessoal. Dentro da nossa cabeça somos quem realmente somos e são poucas pessoas que deixam isso transparecer. Se um dia, só por um dia as pessoas acordasse e falasse tudo o que pensam? (Pensei isso agora... hehehe, seria engraçado). Seria uma catástrofe. Muuuito sangue seria espalhado. O Id, o Ego e o Superego estão começando a brigarem entre si mais do que antes... E aí o Id quer a satisfação imediata dos seus impulsos enquanto o Superego censura tudo o que você quer e você fica no meio dessa briga, quando consegue você decide, mas quando não, só espera a decisão do vencedor... E é como a consciência coletiva, espalha-se pelo mundo tooodo! Muito sinistro isso ¬¬


O que você está pensando agora? Não se censure! Agora só é você contra você mesmo. Você pensa muito? Pensa em coisas bizarras? Acha que é louco(a) e tem medo de dizer porque acha que vão interná-lo se falar isso? E... Eu mesmo pensei em um monte de coisas para perguntar aqui, muitas dúvidas minhas, dúvidas que se eu falasse em público, acho eu, iriam me chamar de louco... ¬¬. Já chega. Estou ficando tonto de pensar em tanta coisa, às vezes penso que já vi discos voadores no céu, aí vem uma pessoa e diz que não existem discos voadores, mas o Jasper me disse que existe... Outros dizem que pular de um lugar alto é ruim, mas a Cícera disse pra mim que é a melhor coisa do mundo... Ora! Aí eu fico sem saber o que fazer e começo a pensar para tirar minhas próprias conclusões. E estas conclusões podem ser as mais catastróficas do mundo, mas só do meu e nele ninguém entra sem a minha permissão, porque ele é exclusivo meu o que me torna especial! [E o que me leva novamente ao primeiro parágrafo... Humpf! ¬¬]



Pronto! Depois disso tudo você se pergunta se é normal [Coisa que já tratei aqui e tratarei ainda mais. O que é Normal?]? Então eu deixo um teste que também fiz pra saber se minha Sanidade estava me ajudando ou não. É uma brincadeira [Ou não], mas as brincadeiras sempre têm um fundo de verdade, e às vezes essas são tão perturbadoras...


Por favor, faça o teste e depois volte para comentar e dizer seu grau de loucura [na brincadeira, é claro].



Só para constar: Eu tirei 55 pontos no teste.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Coisas que o povo conta

Você já deve ter ouvido aqueles "causos" que o pessoal, principalmente os mais vividos, contam sobre coisas sobrenaturais e assustadoras que quando se ouve da um frio na barriga, os pêlos se arrepiam e as lágrimas caem independente da sua vontade.

Mas será que são verdadeiras?

Às vezes penso como o ser humano poder ter inventado o vampiro ou o lobisomen... Pode ser mentira ou pode ser verdade. Quem já viu disse que é verdade e quem não viu, alguns acreditam outros não.

Ouvi um causo bastante interessante e resolvi postá-lo aqui:

"Num quartel militar, na hora da guarda noturna, um soldado fazia sua ronda. No quartel havia um muro alto e em um determinado lugar do muro havia um portão de ferro no qual se podia ver a rua, logo em seguida mais muro. A noite estava escura e propícia para algo acontecer. O soldado ouviu um barulho e já colocou a mão na arma, algo rangia por trás do muro, um frio gelado tomou conta de seu coração quando ele viu uma pessoa em cima do muro, um homem com roupas brancas que andava por cima do muro sem colocar os pés, como se levitasse. O soldado perdeu as forças nas pernas, mas não caiu. O homem de branco olhou para ele, acenou e continuou seu percurso voador por cima do muro. Quando o homem vador chegou na parte do portão de ferro o soldado viu que era um carroceiro que estava em pé numa carroça enquanto a burrinha a carregava junto com o material da feira."

Bom, essa pelo menos teve uma certeza...