segunda-feira, 26 de maio de 2008

O Ataque das Caveiras





A casa era grande. A parte de baixo era uma enorme sala erguida por pilastras. Nela, sofás, mesas, cadeiras e uma grande televisão. Também na parte de baixo da casa ficavam os banheiros e algumas salinhas que serviam como depósitos, a cozinha e uma sala para reuniões. A grande sala era rodeada por janelas antigas. Perto dos banheiros ficava a escada que dava acesso ao primeiro andar. Ao subi-la, e antes de chegar ao outro aposento, havia outra escada descendo, que levava ao porão, o qual a entrada era proibida. Continuando a subida chegamos ao primeiro andar, neste só existia uma grande sala de reuniões cheia de cadeiras negras como a noite, um banheiro e duas pequenas salas. O primeiro andar também era rodeado por janelas. E foi nesta casa que aconteceu o famigerado ataque das caveiras.


O Ataque das Caveiras
PoR JúNiOr.



P.S.1 – Nomes Fictícios.
P.S.2 – Imaginem as personagens como quiserem.






Um grupo de amigos conseguiu a chave da casa para o ensaio de um trabalho educativo. As pessoas que freqüentavam a casa eram empresários que a usavam para reuniões de negócios. Um dos amigos do grupo conseguiu com um tio empresário a chave por um horário, que seria das 18:00 às 20:30 de um sábado.
E lá estão eles chegando a casa. Júnior estava com a chave, quando chegou já estavam à porta Ruan e Gustavo
__ Bem na hora. __ Disse Júnior abrindo o portão branco. __ Entrem!
Eles entraram. Júnior abriu a porta que dava entrada ao interior da casa e desativou o alarme com a senha que lhe foi passada. Entraram e se sentaram no sofá esperando o resto do pessoal. Minutos depois Elida e Jéssica chegaram.
__ Trouxe o material? __ Perguntou Júnior a Jéssica.
__ Trouxe sim, está aqui. __ Respondeu ela mostrando uma sacola.
__ Quem vem mais? __ Perguntou Elida. E nesse momento surgem Pedro, Mayra, Ibsen e Larissa.
__ Pronto! Vamos ensaiar. __ Disse Pedro.
__ Eu trouxe o lanche. __ Disse Dayane na porta com umas bolsas na mão.
Depois de um tempo Juninho, Ayza e Rafael chegaram. Alguns já ensaiavam na sala do primeiro andar, enquanto os demais conversavam e lanchavam no sofá. Quando do nada Elida perguntou:
__ E se nós entrássemos naquele lugar que não pode?
__ Você está doida? __ Perguntou Júnior.
Nisso Jefferson chegava na sala.
__ Olá pessoal! __ Disse ele.
(Nos sofás -> Júnior, Elida, Rafael, Juninho, Ruan, Jéssica, Dayane e Jefferson)
(No primeiro andar -> Pedro, Larissa, Ibsen e Ayza)

__ É! Vamos entrar lá! __ Insistiu Rafael já subindo as escadas.
__ Ta certo, mas vá na frente. __ Disse Júnior.
E Rafael foi, logo em seguida Elida e Jéssica rindo.
__ Eu tenho que ir embora. __ Disse Dayane aflita.
__ Tudo bem. Quando houver outro encontro eu te aviso. __ Falou Júnior.
Jefferson e Ruan ficaram conversando no sofá.
Rafael chegou na parte em que a escada fazia o caminho para o lado e para baixo e sem pensar duas vezes desceu para o escuro sombrio e tenebroso. Logo depois Elida e Jéssica chegaram e ouviram o grito de pavor e dor de Rafael.
__ Ele só quer nos assustar. __ Sorriu Elida e continuou descendo.
Ao descer, viu na penumbra de uma luz vermelha e muito fraca a cabeça de Rafael sem os olhos e com a boca ensangüentada. Um braço esquelético estava enfiada a baixo do pescoço, como fazendo da cabeça uma marionete.
__ Ei meninas, desçam aqui, encontrei uma coisa super legal. __ Disse a cabeça tentando imitar a voz de Rafael, sem sucesso.
__ Que massa! __ Disse Elida com um sorriso de alegria no rosto. __ Vamos ver!


__ Vocês ouviram o grito de agonia do Rafael? __ Perguntou Pedro durante o ensaio.
__ Deve ter levado uma queda. __ Disse Ayza.
A porta da sala abriu um pouco e outra marionete apareceu desta vez com a cabeça da Elida, novamente sem os olhos e com a boca sangrando.
__ Vocês vão demorar muito? __ Perguntou a marionete com uma voz infernal.
__ Saia daqui e nos deixe ensaiar! Não nos atrapalhe! __ Gritou Pedro.
A porta se abriu por completo mostrando uma enorme caveira com os ossos brancos como leite e na mão direita a cabeça de Elida.
Todos gritaram desesperados e começaram a correr pela sala, sem direção.
__ Esta é a sala do TERROR QUENTE, e vocês vão saber o porquê agora. __ Disse a caveira.
A sala começou a pegar fogo.


__ Mas que gritaria. __ Disse Júnior levando us pratos para a cozinha e lá ouviu uma voz estranha e demoníaca imitando uma conversa.
Em uma mesa na cozinha duas marionetes conversavam. A mesa serviu como palco, pois a caveira estava em baixo e as cabeças de Jéssica e Rafael conversavam em cima.
__ Comer vocês sabem não é? Mas limpar que é bom!? __ Disse Júnior.
A caveira se levantou. Júnior gritou e correu, mas as facas e garfos já haviam atingido seu corpo, assim como copos, pratos e a geladeira.
A gigante caveira gargalhava.
Jefferson e Ruan levantaram-se assustados com o barulho e correram em direção à rua, mas havia uma caveira na porta.
__ Quem mandou serem curiosos? __ Perguntou a monstruosa caveira.
Os dois gritaram e correram para a escada, logo voltaram quando viram fogo descendo de lá e destruindo tudo. E de lá desceu outra caveira com a cabeça de Elida na mão.
__ Vão para o inferno desgraçadas! __ Gritou Ruan loucamente.
As caveiras começaram a gargalhar, sempre aparecendo mais.
__ Espero que gostem daqui. Disse uma caveira saindo do fogo. __POIS VÃO FICAR AQUI PARA SEMPRE!! HAHAHAHAHAHAHAHAHA!!

No outro dia à noite Dayane voltara à casa, pois Júnior havia ligado para ela dizendo que encontrou o celular que ela esquecera lá.
Quando Dayane chegou as portas estavam abertas e ela entrou.
__ Pessoal! __ Chamou Dayane.
Não viu ninguém, mas as mochilas estavam lá. Resolveu procurar lá em cima. Ao chegar na bifurcação das escadas sentiu uma mão grande, fria e ossuda pegar em seu ombro. Ao se virar e antes de soltar um grito de horror, conseguiu ver as cabeças de seus amigos nos degraus e a enorme caveira com um olhar demoníaco.




O Ataque das Caveiras
PoR JúNiOr.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Discursos Diferenciados

Com palavras de baixo calão!


Rascunho do E-mail para o chefe:

Ôw filha da puta,

Manda o caralho do documento pra porra do meu e-mail com o seu nome de viado preenchido, e é rápido, se quiser que eu termine o trabalho para a sua repartição de Rapariga!

Tome no centro, Fi de Quenga,
Sandrinha do Créu.



E-mail revisado para o seu chefe:

Prezado Senhor,
Solicito-lhe o envio do documento citado anteriormente devidamente preenchido com seus dados, com urgência, para que possamos nos ater à resolução do transtorno ocorrido.

Atenciosamente,
Sandra Lúcia.

domingo, 18 de maio de 2008

Amor...

"... como poderíamos esperar não sermos levados tão baixo quanto lúcifer, pela tremenda presunção de nosso amor?"

Stephen king - A Torre Negra Vol. VII



E então? O que falar sobre isso? Uma coisa que, creio eu, todo o ser humano nasce "sabendo" o que é. Mas será que todos sentem o amor?

Primeiro vamos delimitar sobre o amor do qual vamos conversar aqui. Não falo do amor de amigos ou família, mas sim do amor entre duas pessoas, que envolva o sentimento e o sexo.

A frase que inicia a postagem me fez pensar. Como foi dito [Ler novamente a frase] nela, é algo que venho observando nas pessoas, por amos elas podem ser levadas à loucura. Podem machucar a si mesma ou a outras pessoas por um sentimento que parece ser tão bonito.


Pode-se rastejar por amor sem vergonha alguma. Pode-se matar por amor sem culpa. Pode-se enlouquecer por amor sem perceber. E também o amor causa dor e sofrimento. Que triste! Mas é a realidade. Às vezes se quer alguém que não te quer e outras você não quer alguém que te quer. Confuso isso!


Já falaram em almas gêmeas! Que ao se encontrarem vocês pensam que nasceram um para o outro. Meses depois descobrem que foi um engano ¬¬. Será que existe só uma alma gêmea ou serão trigêmeas ou quíntuplas?


Como tudo na vida tem o lado bom e o lado ruim, no amor o lado bom supera em milhões de vezes o lado ruim. Quer dizer, para alguns o amor só tem o lado bom! Sortudos! Para outros tem os dois lados. Mas acho que para ninguém só tenha o lado ruim. E então, pelas coisas que já ouvi sobre este sentimento tão confuso pra mim, entregar-se de corpo e alma ao amor é a maneira mais fácil de se amar e ver só as coisas boas. (Ou enlouquecer e virar um maníaco psicopata louco)! Faça a sua escolha e boa sorte!