quinta-feira, 16 de agosto de 2007

O Mundo é Cruel...

Parece uma guerra.
Eu contra eu mesmo.
Você contra você mesmo.
Nós somos nossos maiores inimigos.

Os problemas do mundo crescem enquanto nós não damos a mínima para a vida do próximo. Colocamos na cabeçaamos para que é errado, mas só para continuarmos vivendo sem ter peso na consciência. Somos hipócritas conosco. E mais ainda com o próximo.
Não existe amizade sem interesse. Não existe conselho sem interesse. Tudo é prejudicial. Mas o que fazer? Isolar-se? Não faço idéia, vamos continuar como sempre fazemos: Vivendo numa mentira tentando passar os dias sem fazer algo "muito" errado para não pensarmos que vamos para o inferno... mas saibam de uma coisa: O inferno é aqui. Os demônios somos nós e o fogo que queima e condena é a nossa própria consciência.

Na verdade não é o mundo que é cruel, nós que somos. E não há nada que se possa fazer para mudar. Não importa sua religião, como dizem: se o SEU DEUS é melhor que o MEU DEUS, pois só existe um (para quem acredita).

domingo, 12 de agosto de 2007

A Vingança nunca é plena...


... Mata a alma e a envenena.


Quem sabe?



Só sei que ela guia a vida de muita gente. Ela é que impulsiona os desejos mais sombrios da alma de uma pessoa. Ela "ajuda" na realização de metas, se assim a pessoa quiser. Só é saber usá-la.


A Vingança é a mãe do ódio, da raiva, da crueldade e, principalmente, da realização pessoal tão saboreada quando conseguido o objetivo base.


Antes de querer vingança a pessoa precisa ser impulsionada. Vamos para um exemplo clássico:

Maria namora João e João trai Maria com Ana. Ana é a melhor amiga de Maria. Um certo dia Maria vê de longe João aos agarros com Ana. De longe, ao ver tal cena Maria sente um aperto no peito, um frio sobe-lhe pela barriga (raiva), lágrimas brotam dos cantos dos olhos (Ódio) e como num flash Maria pensa no que fazer.

Maria vai pra casa chorando em silêncio com aquele frio na barriga e um leve tremor nas mãos. Chegando em casa deita na cama e fica se remoendo com coisas bonitas do passado: Via-se com João, lembrava-se como se conheceram, recordava-se dos beijos, carinhoe e palavras de amor, etc e coisa e tal... Todo aquela baboseira de um coração apaixonado que se quebra. Ele deviam pagar, Maria pensava no fundo de sua alma corrompida, deviam pagar caro.

Como dizem: a vingança é um prato que se come frio, por isso é tão saboroso prepará-lo, você deve estar com o coração quente!

Maria passava um bom tempo planejando o que faria com os dois pombinhos, já tinha tudo na cabeça desde o momento do flagra, mas gostava de machucar pensando nos momentos bons e logo em seguida relembrar o que viu. Ao mesmo tempo que sentia aquele frio de raiva na barriga, sentia um frio mórbido e relaxante no coração.

Os dias se passaram e o dia dela chegou. João e Ana estavam se beijando no mesmo local de antes, em baixo de um árvore, à sombra. Não havia mais nada além da árvore e grama. Eles viram quando Maria se aproximava com alguma coisa na mão e disfarçaram.

__ Oi meu amor! __ Disse João.

__ Oi Maria! Estava aqui conver... __ Antes que Ana terminasse, Maria jogou um balde com gasolina nos dois. Eles ficaram sem saber o que estava acontecendo. Não havia mais nada nos olhos de Maria a não ser Ódio e uma louca sensação de bem estar.

__ O que você está fazendo? __ Perguntou João.

Maria limitou-se a jogar o isqueiro nos dois amantes.

Ao som dos gritos de dor e sofrimento, Maria olhava para o céu. Estava livre de um grande peso na consciência. O frio em sua barriga voltou, mas foi de alegria ao ver os dois pombinhos correndo e rolando no chão tentando, em vão, apagar o fogo de seus corpos.



Viu? A vingança é algo útil quando dirigida para um objetivo. Não este do exemplo, mas para outros que envolvam sua vida profissional. Quantas pessoas malditas fazem algo pra te prejudicar? Essas sim merecem ter uma boa "regulagem" heheheheh!


Até lá e aproveite cada segundo do preparo da sua vingança!

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Números que alucinam

Você já ficou obsecado por um número?
Eu sei, para alguns isso é loucura (Também acho que é...) mas acontece. Você colocar um número na cabeça e para todo canto que se olha ver esse número. Como? Contando placas de carro, números de casa, preços, etc.
Aqui vai a receita, mas já deixo uma advertência: CUIDADO PARA NÃO VICIAR!
Primeiro você tem que saber o número do seu nome:

1 2 3 4 5 6 7 8 9
A B C D E F G H I
J K L M N O P Q R
S T U V W X Y Z

Pronto!!!
Agora você conta o número do seu nome e já vai saber qual o seu número.
Vai depender de você se acredita ou não.

Eu, particularmente, passei um bom tempo contando placas de carro tentando achar meu número. Aí você me pergunta: PRA QUÊ? E eu te respondo: NÃO SEI.
Talvez faça parte da loucura de cada um não é?


FALANDO NISSO...

Um filme muito bom que fala sobre essa obsessão é o Número 23. Fala muito bem sobre isso e eu não duvido que possa acontecer.
O Filme conta a história de um homem que tem sua vida guiada pelo número 23. Seu nome, sua identidade, seu CPF, o número de sua casa, TUDO dá 23. Tudo começa na leitura de um livro onde a persongem principal também é guiada pelo número 23, a partir daí ele começa a perceber que sua vida também é.
Estrelado por Jim Carrey.


domingo, 5 de agosto de 2007

Quando um amigo se torna um inimigo...

Uma das melhores coisas da via é se ter amigos. Quem gostaria de viver só no mundo? (Sei de gente que gostaria...). Os amigos são a nossa esperança, nosso ombro amigo quando precisamos desabafar, nosso ombro amigo quando precisamos chorar, às vezes nosso ombro amigo quando precisamos contar um segredo que não contaríamos nem para nossa família! Que Maravilha é ter amigos! Que maravilha!!
Você vai crescendo e seu circulo de amizades vai crescendo com você. Quanto mais amigos melhor. Mais gente pra conversar, pra estudar em grupos, para muita diversão e várias outras coisas de amigo.



Agora vamos para a REALIDADE:

Quanto mais amigos, mais chances de se ter inimigos perigosos ao seu redor. Quando você menos espere tem um de seus "amigos" falando mal de você para alguém, ou tentando te passar a perna, ou com inveja (INVEJA - creio eu que seja o pior dos sete pecados), um "amigo" com INVEJA é o seu pior inimigo.
Quando você olha para trás e percebe que a pessoa que você conversava tanto na verdade era uma máscara, uma máscara que VOCÊ gostaria de arrancar junto com a cabeça do(a) miserável. Aquele sorriso falso que VOCÊ recebia (ou ainda recebe) e quando descobre a verdadeira intenção do sorriso (Favores, dinheiro, roupas, etc.) VOCÊ gostaria de arrancar aqueles dentinhos pela nuca do maldito(a). Quando VOCÊ vê, ou via, aqueles olhos sem emoção alguma te olhando e planejando uma trama, VOCÊ gostaria de arrancá-los e pisá-los para que ele(ela) fosse agora olhar assim no inferno... São tantos momentos que parecem bonitos e na verdade são apenas criações da nossa cabecinha oca.
Abrir os olhos para um amigo-inimigo é difícil, mas quando você consegue abrir, é como se você visse aquela mancha preta na sua vida desde o dia em que, infelizmente, esse(a) amigo(a) entrou na sua vida para tentar estragá-la.



DEVANEIO:

Podemos pensar de outra forma, só para não ser tão cruel, ou pessimista... Podemos pensar que são enviados de algum lugar para testar nossa paciência, nosso bom senso e a nossa ingenuidade! Nossa, hoje em dia ainda tem gente ingênua no mundo. Não é querendo ser neurótico, mas quem sabe as ingênuas não sejam as mais perigosas? ...


FINALIZANDO...

Só para constar, nem tudo que eu escrevi acima corresponde exatamente à minha pessoa. Mas só queria deixar um conselho (CONSELHO?? HAuHAuHAuHAuhauHAUh Risada do Mal), bom, aqui vai: CUIDADO COM SEUS AMIGOS!

sábado, 4 de agosto de 2007

Desnorteamento Instantâneo

Ando pela rua com meu corpo físico, mas minha mente nunca está no mesmo canto que eu. Meus pensamentos sempre são diferentes do momento em que vivo. Fico desnorteado pensando que não pertenço a esse mundo, que sou muito diferente das pessoas, que faço coisas normais que parecem loucuras ao mesmo tempo que são tão normais quanto as loucuras que cometemos diariamente sem percebermos.
O Desnorteamento instantâneo é aquele momento do dia em que você para no tempo e no espaço. Sabendo que parou mas sem querer acreditar no que está acontecendo. É o momento em que não estamos mais "aqui". Não exatamente aonde vou... As vozes continuam, mas é como se não existissem. As pessoas me vêem, mas eu não vejo as pessoas, não as que estão ao meu redor "aqui". Também não vejo as pessoas "lá", no desnorteamento, mas as sinto como se as estivesse vendo.
É estranho.
É interessante.
E muitas vezes, muuuuuuitas vezes mesmo, passa despercebido.
Como também po ser viciante.
E perigoso.