sexta-feira, 27 de julho de 2007

Os Signos do Zodíaco



Já perceberam que os signos mostram realmente algo sobre nossa personalidade? Não falo de revistas que fazem previsões (¬¬), mas sim de livros que já li que mostram caracteristicas inerentes aos signos, e por incrível que pareça, tudo que eu li sobre o meu signo tem a ver comigo. Não sei se foi coincidência ou sei lá o quê, ´só sei que foi assim... Falar sobre esses assuntos é difícil, pois nem todo mundo acredita, uns por religião e outros por ceticismo e ainda outros por não se interessarem mesmo. Não "aponto" ninguém por acreditar ou não em certa coisa, também não critico, cada um acredita no que bem entender. Ou melhor, acho que cada um acredita em algo que possa fazer sua vida melhor, sem importar o que os outros pensem.
Bom... Além disso, há muitas coisas, muitas pessoas e muitas fontes para se obter informações sobre este assunto, nem todas são verdadeiras, mas pelo que eu vi, pela pesquisa que fiz e pelas fontes (seguras, pelo menos pra mim...) que busquei, as informações sobre o meu signo bateram com características que eu tenho, não todas, mas a maioria.

(Agora uma tentativa de interação com os leitores)
Você acredita que os signos têm alguma influência na personalidade de uma pessoa, ou seja, que pessoas de mesmo signo compartilham de traços de personalidade semelhantes?



P.S. Há um filme que fala justamente sobre o Zodíaco que também, por incrível que pareça também se chama Zodíaco (É muita coincidência... ¬¬), este eu ainda não assisti...






Sinopse
Um assassino que provoca através de cartas e enigmas coloca a população de San Francisco em pânico. Dirigido por David Fincher (Seven) e com Jake Gyllenhaal, Mark Ruffalo, Robert Downey Jr., Chloë Sevigny, Brian Cox e Dermot Mulroney no elenco.

terça-feira, 24 de julho de 2007

O Jogo ideal

Quem já ouviu falar em Battle Royale?
Bom, é um filme japonês onde jovens que estão terminando o terceiro ano do ensino médio são escolhidos para participarem de um reality show. Cada ano uma turma de um colégio diferente é escolhida. O jogo consiste no seguinte: os alunos são colocados num ilha deserta e recebem um kit de sobrevivência, neste vem uma arma surpresa, que pode ser um revolver, uma metralhadora, uma faca ou um bumerang. As regras são claras: só pode sair um vencedor, cujo prêmio é a liberdade. Os jogadores ganham colares que, se tentarem fugir da ilha ou tentarem tirá-lo ele explode, e se em três dias restar mais de uma pessoa viva, todos explodem.



Pronto! Não sei o porquê de ainda não terem feito um jogo desses com bandidos perigosos, políticos corruptos e outros. O mecanismo seria o mesmo e o prêmio seria o ingresso para a segunda edição do jogo e assim por diante. Além de proporcionar entretenimento ao público, haveria uma boa redução populacional saudável e uma redução das superlotações das penitenciárias.

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Música

Já perceberam que a música tem um poder sobre a gente?
Ela nos faz lembrar momentos.
E tem uma banda que me faz lembar quendo eu morei sozinho por um tempo. Quando eu não tinha ninguém pra conversar (Sou um pouco anti-social, o que chamam de timidez). Só estudava e ouvia música. Me faz lembrar quando eu tinha que me virar sozinho pra fazer comida e tal...
Mas a música, se olharmos direitinho, tem poder. O poder de acalmar, o poder de agitar, o poder de relembrar emoções... às vezes a música não tem nada a ver com o momento lembrado, mas só pelo fato de naquele momento você ter ouvido, pronto, já é um motivo pra quando você ouví-la, você lembrar, você sentir o que você sentiu naquele momento da sua vida.
Eu costumava ouvir as músicas da banda LUXÚRIA, muito boa! E hoje, depois de muito tempo estou ouvindo novamente. É bom saber que passei por situações, tanto boas quanto ruins, pois vejo que minha vida não tá passando em branco. E depois, é melhor fazer tudo o que se quer e viver do que ficar esperando a morte chegar sentado.

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Hannibal Lecter



Gosto muito de filmes de Serial Killer. O inteligência, o charme e a astúcia que eles têm me impressionam. Decidi colocar alguns filmes e comentar sobre meus ídolos!! Falar da capacidade intelectual, do controle emocional e das maneiras habilidosas e cínicas de se livrarem da culpa.
Começo hoje com Hannibal Lecter. Assisti todos os seus filmes exceto O Silêncio dos inocentes, o primeiro... Mas ainda vou assistir. Hoje assisti o mais recente: Hannibal, A Origem do Mal. Explica muito bem o porquê do canibalismo. Não entro em detalhes para não estragar a essência do filme para quem ainda não assistiu.
Hannibal se aproveita da faculdade de medicina para se deliciar com a carne de suas vítimas, que não se lembra da grande cena em que ele faz o homem comer do próprio cérebro? hehehehe. Só não o acho muito preocupado em deixar rastros. Mas mesmo assim ele sabe escapar bem de seus crimes, mesmo que saibam que foi ele quem os cometeu, pois já tem sua marca registrada. Até de dentro da prisão consegue "atacar" alguém...
Além de ser um serial-Killer ainda é canibal, o que faz dele um assassino incomum, podemos dizer assim.


Vejam o Trailer:

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Esqueci como chorar...


Como eu fui esquecer de como chorar? Chorava tanto quando criança... Por quê agora eu já não sei mais, é tão difícil... Será que é por causa de tantas mentiras que eu ouvi e agora não acredito mais em ninguém? Será que é por tentar um minuto de atenção de alguém e ninguém me ouvir? Ou será que é por causa de muitas vezes chorar e mesmo assim ninguém acreditar nas minhas lágrimas?
Dizem que quando choramos expulsamos nossas mágoas, limpamos nossa alma das coisas ruins. Na verdade eu sentia isso, eu me sentia bem depois de chorar. Mas algo me levou a não querer mais, a não querer esquecer o que fizeram de ruim comigo, de não esquecer o que me falaram, de tentar não ficar perto de mais ninguém com receio de que acontecesse alguma coisa errada, de tentar viver sozinho.

Quando você vai colocando na cabeça que não precisa chorar quando alguém vai embora, quando termina o 3° ano e cada amigo seu vai para uma direção diferente, quando você quer voltar para o passado e no fim voc~e vê que tudo no mundo parece ser cruel, aí você vê que não precisa chorar.
Vantagem?
Acho que não. Só sei que eu esqueci como que chora. Como colocar as emoções para fora. Ou as emoções, em mim, estão desaparecendo? Já precisei muitas vezes chorar, mas... É difícil reaprender essa "coisa" tão natural...

terça-feira, 3 de julho de 2007

Vidas em Perigo!

Você já pensou qual a sensação de uma pessoa que está dentro de um carro no momento de uma colisão fatal? Claro, antes do grito, da dor, do sangue e todo o resto... É algo impressionante saber que em um corpo no chão, há alguns segundos atrás havia vida, havia planos... E logo está lá no chão. Ao olhar para o corpo você logo sabe, logo vê a falta de essência, aquela essência que você percebe quando vê alguém dormindo.
Bom, pelo que vejo nos telejornais, dizem que na maioria dos casos alguém está bêbado... Não sei o caso, cada um é cada um, mas no fim da no mesmo, uma vida inocente, ma maioria das vezes, é perdida, e na maioria das vezes o culpado sai vivo. Mas quem sou eu para julgar não é?

Em outros casos a pessoa é que escolhe esse terrível destino. Parece que não pode esperas alguns SEGUNDOS para fazer um cruzamento ou alguns SEGUNDOS para entrar em outra rua, o indivíduo troca uma vida toda pela pressa de chegar mais rápido em algum lugar, e fazendo essa troca, ele chega mais rápido no céu ou no inferno ou em qualquer outro lugar no qual acreditava.
Não sei o porquê de pessoas trocarem SEGUNDOS por ANOS (provavelmente anos...).
Não sei também se as propagandas e tentativas de diminuir esses acidentes adiantam, pois infratores são sempre infratores, mas não custa tentar, sempre há uma luz no fim do túnel, mas infelizmente essa luz chega primeiro pra quem anda certo na estrada...

domingo, 1 de julho de 2007

Os Sonhos que eu já tive... (Versão 2)

Já quis ser Médico, Veterinário, Psicólogo, Arquiteto, Jornalista, Educador Físico, Astronauta, Cineasta... Desses, já fiz faculdade de Terapia Ocupacional, Letras e Jornalismo, mas não terminei nenhuma... sempre querendo algo diferente.
Quando criança eu não pensava que era tão complicado escolher uma profissão, e o verbo escolher está errado, seria mais conveniente colocar o verbo "Ter", ter uma profissão.
Fui crescendo e vendo que meu mundo infantil tinha que ser destruído para que eu conseguisse sobreviver na sociedade , o lobo dos homens. Então fui vivendo, como que por osmose, absorvendo algumas idéias de caráter social, a maioria dela hipócritas. Sonhava em trabalhar numa profissão(Graduação) que eu gostasse, que me fizesse bem, sem que eu precisasse pensar no dinheiro que eu receberia no final de cada mês. Ainda "sonho" que um dia as pessoas possam voltar a pensar assim, mas pra falar a verdade, até isso eu estou achando difícil. Parece que o mundo vai acabar antes de qualquer ato de paz.
Apesar de tudo que está acontecendo em sociedade (Sequestros, chacinas, tiros, fome, guerras, etc) tem uma ponta de esperança que me diz que ainda há tempo, mesmo de vez em quando eu pensar que tudo está acabado... A esperança sempre está lá.
Meu mundo, o mundo que eu acreditava na infância ainda existe em algum lugar na minha cabeça, quase apagado pelas palavras duras que já ouvi, quase destruído pelas desgraças que já vi (Principalmente na televisão) e ao mesmo tempo bem vivo pela força de vontade que ainda tenho de sonhar com algo melhor para o mundo!




"A possibilidade de realizar um sonho é que torna a vida mais interessante..." O Alquimista