sábado, 30 de junho de 2007

Os Sonhos que eu já tive...


Acho interessante os sonhos. Sei que muita gente, como eu, deve passar algum tempo pensando sobre o que sonhou. O sonho é uma coisa mística... Algo que não se pode explicar. Sonhamos com coisas inimagináveis, belas, aterradoras, engraçadas, tristes, espetaculares e enigmáticas. Mas o que, de fato, ele tem a nos passar? Já comprei livros que falam sobre o assunto, acho interessante, ele divide opiniões. Alguns livros são do mesmo ponto de vista, outros não... Não final você que tem que decidir em qual vai acreditar.

Acredito que o sonho é o mundo de cada pessoa, talvez até o mundo real de cada alma, onde cada ser é o que quiser. E se o sonho fosse o mundo real de cada um e isso em que estamos vivendo agora seja um sonho de algo maior? Parece loucura, mas é loucura mesmo. A maioria das descobertas de hoje pareciam loucura antes de serem descobertas!
Eu já sonhei voando, caindo, rindo, chorando, correndo, com poderes mirabolantes e quando eu precisava usá-lo eu não conseguia, com cachorros, cobras, tubarões e baleias. Já acordei tremendo de medo e também rindo muito. E sei que em todos eles há algo que possa ser utilizado no dia-a-dia, uma lição quem sabe.
O sonho é algo incrível que nos acompanha. Cada um tem o seu. Às vezes são presságios e premonições, outras vezes são coisas sem explicação nenhuma. Às vezes você lembra do que sonhou outras não. Algumas vezes eu sonho coisas tão cotidianas que me pergunto se aquilo não aconteceu de verdade... Outras vezes passo dias sem sonhar, ou então tem a impressão de que não sonhei.
Ou o sonho é um jogo de RPG que jogamos enquanto dormimos? Ou a vida que é um jogo de RPG? E se o sonho for nossa vida de verdade e nós estivermos sonhando em conjunto agora? São tantas dúvidas...
Algo tão impressionante é ao mesmo tempo tão comum a todos, mas não sabemos tirar o proveito suficiente. Os sonhos são mensagens divinas, é nisso que acredito, e não só um "cinema onírico".

sexta-feira, 29 de junho de 2007

Strike I - Os Vingadores do Forró

Vejam que o forró pode ser uma boa arma contra qualquer oponente! Esse vídeo mostra claramente (não tão claramente assim...) o que acontece quando uma dupla quer tirar a outra de cena.


quarta-feira, 27 de junho de 2007

Quebrou!

Eu estava andando na rua voltando da aula de teclado, a rua estava deserta, era dia, ouvi alguns passos atrás de mim, olhei e vi meu professor de música, ele era um tanto gordinho. Ele vinha cantarolando alguma porcaria quando despencou de um batente e começou a gritar:

__ AAAAAIIIII!!! QUEBROU!!! MINHA PERNA QUEBROU!!!

Quando vi aquela cena medonha comecei a rir e me escondi na parte da garagem de uma casa. Ele continuava gritando:

__ ALGUÉM ME AJUDAAA!!

Realmente a perna estava quebrada, eu conseguia ver o osso. Não sei como ele conseguiu essa façanha: foi pular o batente e quebrou a perna. Ele estava sentado com a mão na perna quebrada charando e implorando por ajuda. Eu continuava rindo. Um cachorro vira-lata passou, meu professor estendeu a mão para ele:

__ Vá pedir ajuda pelo amor de Deus! __ Dizia ele, já não conseguia chorar nem gritar mais.

Minutos depois que a cachorro saiu correndo os bombeiros chegaram. Ele já estava com sudorese e ia entrar em choque.

Depois que o levaram eu saí do esconderijo e fui embora.

domingo, 24 de junho de 2007

A Ameaça Noturna


Ontem à noite, na rua em que moro, várias fogueiras foram acesas para comemorar a noite de São João. As crianças soltavam fogos, os homens ouviam músicas no som dos carros e as mulheres assavam milho na brasa da fogueira sob o céu estrelado. Algumas vizinhas conversavam observando as crianças brincando.

Para cada casa uma fogueira, a rua estava bem animada. Quente, por onde se andava havia uma fogueira maior que a outra para aquecer aquela noite fria.

Mas derrepente tudo ficou em silêncio. A vizinhança estava parada contemplando algo no céu. As crianças pararam de soltar fogos e os homsns desligaram o som. Algo brilhava longe no céu, um brilho rubro e intenso que flutuava devagar por entre nossas cabeças lá no alto. Demoraram um pouco até descobrirem o que realmente era: Um Balão. Agora podiam ver o que era, como algo tão bonito poderia causar tanto mistério e medo? Um balão enigmático observava a rua, as pessoas, as casa... e em qual delas ele iria cair? Essa era a pergunta que pairava silenciosa em cada pessoa. Um balão bonito e mortal ameaçava a rua e a festa. Anciosos, os moradores não paravam de olhar para o céu e viam lentamente que o balão se aproximava tímidamente. Antes que alguém soltasse o primeiro grito de pavor, o balão pareceu mudar de sentido pela ação de um vento forte. Continuaram olhando. Até que ele se distanciou mais e mais até virar aquele ponto vermelho que surgiu tão distante no início...

Nessas horas é que percebemos como algo tão bonito pode ameaçar uma rua inteira. Espero que esse balão não tenha causado nenhum prejuizo para ninguém...

quinta-feira, 21 de junho de 2007

A vida como ela é!

Acordo de manhã e já vejo as estrelas por entre o teto da minha casa, não por que o teto é aberto, mas porque as estrelas insistem em ficar à vista quando olho para o céu. O Sol e a Lua estão distantes, mas conversando como irmãos. Anjos e fadas começam seus caminhos logo cedo, voando e cantando, enquanto alguns demônios e outros homúculos começam a desaparecer para seus lares sombrios. No meu mundo o bem e o mal vivem interligados...
Quando vou para o trabalho no ônibus vejo ondas de cores passando por mim e se esvairindo no ar, não sei o que é, mas acho interessante. As pessoas na rua, cada uma é um mundo diferente e em seus olhos posso ver o que sentem e o que querem, mas não gosto de olhar em seus olhos, tenho medo de enlouquecer com desejos alheios. Nas pessoas também vejo, algumas com pontas vermelhas, outras com auréolas douradas e outras com as duas coisas, essas são as que eu mais gosto, olhares inocentes que escondem uma perversidade mortal ou uma devassidade promíscua. As que eu mais odeio são as que têm a gosma verde da inveja no ombro, dessas procuro manter distância.
Existe uma nave no céu que se chama HIPOCRISIA, e ela emana raios em grupos de pessoas fazendo com que estas sejam falsas e mintam para os amigos e companheiros de trabalho, mas quando as máscaras caem, posso ver o rosto real dessas pessoas: uma massa lisa sem nada, só mais um suporte para outra máscara, a HIPOCRISIA suga a personalidade da pessoa a deixando "oca".
A luz que vem de cima, não do Sol, mas de cima, não sei explicar de onde, ilumina o mundo afastando a escuridão que vem de baixo, também não sei de onde. Você escolhe pra onde olhar, quem olha mais pra cima ganha asas, quem olha mais pra baixo ganha um rabo e quem fica no meio ganha os dois. A luz traz os amigos e a escuridão os inimigos, às vezes amigos viram inimigos e vice-versa.
Tenho amigos! Muitos! Até imaginários! Existe um lugar em que guardamos nossos amigos, para uns é num parque, num bar, num cinema, numa praia, etc. E um lugar para os inimigos, numa sala de tortura, ou num buraco negro, ou numa fornalha!
Às vezes paro e fico olhando tudo e começo a pensar, penso em tantas coisas que se interligam que ficaria difícil explicar. E são nessas horas que eu fico mais feliz, pois parece que ao ver tudo eu encontro algumas respostas que me levam a acreditar que nada disso tem explicação, que eu posso estar vivendo num sonho ou sonhando tudo isso.
A única coisa que eu sei é de que nada sei, e vou vivendo com um sonho atrás do outro, podedendo ser chamado de louco, rindo e chorando, cantando e tocando meu bandolim, num mundo só meu e feliz ao saber que cada um tem o seu.

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Individualistas em Comum

"Em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis,vales de silêncio e paraísos secretos. "Saint-Exupéry

A coisa mais extraordinária que existe na terra é diferença. A melhor coisa que existe no mundo é uma pessoa ser diferente da outra e ainda sim algumas terem algo em comum. O zodíaco mostra a individualidade de cada um e a semelhança entre eles. As teorias da personalidade destrincham cada pessoa tentado mostrar traços marcantes de cada pessoa.

O objetivo do blog é pensar em tudo, filosofar , contar histórias, devanear, debater, brincar e no decorrer disso tudo tentar viver sem se preocupar com nada, vivendo sua individualidade num coletivo caótico chamado sociedade...